15/01/2013

Recomendação do Ministério da Saúde de sacrificar cães com Leishmaniose gera polêmica


Quando o Ministério da Saúde e Agricultura vai tomar vergonha e 
liberar o tratamento dos animais? é nojento mesmo!!!! 
Vivi, socorrooooooooo.......

Jornal da Record - 14/01/13

11 comentários:

  1. Olá Sheila, vamos ao ponto.
    Como Médico Veterinário sou contra essa decisão do MAPA (ministério da agricultura), essa não é uma decisão, digamos, sensata, a Leishmaniose é uma doença causada pela picada de um flebótomo (mosquito palha), inseto não muito comum em áreas urbanas, que transmite o protozoário do gênero Leismania a outros animais como: cães, gatos, ratos, gambás, capivaras, seres humanos, etc... Se prestarmos atenção na lista de possíveis infectantes existem animais que não encontramos com serta facilidade na região urbana, porém os ratos esses são abundantes. Recentemente foram detectados casos de Leishmaniose na região do Cajú bairro do Rio de Janeiro e os cães infectados foram sacrificados, mas, exames nos ratos daquela região também foram positivos; ou seja para que sacrificar os cães se os ratos também estão positivos e passíveis de transmissão a seres humanos??? aí os mais entendidos vão dizer que os cães estão mais próximos de nós seres humanos e aí eu respondo e as pessoas que são positivas ??? também estão perto de seres humanos, então vamos sacrifica-las tb???
    o MAPA não permite o tratamento de animais com medicações humanas, com medo de resistencia ao tratamento e assim complicando o tratamento em humanos. Mas eles não falam em proibição do tratamento com medicações de uso veterinário, porém, essas medicaçõs não existem no Brasil, sendo necessário a importação delas.
    não tem lógica eutanasiar os animais positivos, se não podemos examinar todos os animais silvetres e os roedores para sabermos e são positivos ou não, "mas no nosso país é muito facil tentar resolver os problemas eliminando os cães que quando tratados assim como nós seres humanos continuam positivos e com carga parasitária pequena sendo muito improvavél a transmissão da doença."
    Rogério Lobo
    Médico Veterinário
    CRMV/RJ 6661

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o meu veterinário!!!!!
      tô contigo e não abro!!!
      bjs

      Excluir
    2. karina medaglia23/01/2013 21:31

      parabéns dr rogerio, sou médica de humanos e compartilho sua opinião, mas qdo as autoridades tomam esta atitude estão tomando mostrar serviço e como o povo é ignorante e aceita tudo que ouve a situação de incompetencia das autoridades continua!

      Excluir
  2. Oi Sheila, tudo bom, querida? Não sei se vc viu o caso do cão Scooby que foi entregue ao ccz com a promessa do ex-prefeito que ele seria devolvido para adoção pela veterináriaque o tratou, mas até agora parece que não há noticias dele.

    ResponderExcluir
  3. Queridão, não sei do caso não... pelo menos não lembro.... tô meia esquecidinha... hehehe....
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando puder dÊ uma olhada. Bjs
      http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/pivo-de-polemica-cao-scooby-e-devolvido-a-ong

      Excluir
  4. O Dr Rogerio Lobo disse tudo.

    Nao sei porque mas alguma coisa me diz que essa reporter fulustreca nao gosta de cães.

    ResponderExcluir
  5. Celso Bitencourt dos Anjos

    Quando ouço falar que os cães com leishmaniose tem que ser "sacrificados" (no meu entender: "assassinados") fico muito furiosa. Então porque não tem que ser "sacrificadas" todas as pessoas com aids, por exemplo??? e as pessoas com leishmaniose também??? Achei pior do que a reposter fulustreca o tal Sr. Celso Bitencourt dos Anjos (ou seria dos Demônios???)Fiquei furiosa com a opinião dele, totalmente retrógrada. Eu lutaria com umnhas e dentes e mais alguma coisa para salvar meu animalzinho se fosse necessário. Se existe um tratamento eu não permitiria o assassinato do meu melhor amigo por um motivo tão idiota. Eu lutaria pelo tratamento como fez o casal no vídeo.
    Vou parar por aqui para não começar a escrever asneiras...

    ResponderExcluir
  6. Dr Rogério disse tudo mesmo! É um absurdo o Brasil querer tapar o sol com a peneira! Muito fácil matar cães, não é? Duro, mesmo, é erradicar a doença, acabar com os mosquitos. Precisa muita vontade política, que é o que mais falta nesse país! Meu Deus, quantos assassinatos em vão! E o pessoal mais simples é o mais intimidado pelos CCZs das grandes cidades, principalmente no nordeste. O povo não sabe dizer não e tem seus cães arrancados de casa e mortos, mesmo com um falso positivo! Terrinha de m****!

    Beatriz Pacheco

    ResponderExcluir
  7. Caro colega Rogério Lobo. Onde você encontrou a informação de que roedores eram positivos para a LVC no caso do Caju? Pelo que sei, foram realizados testes in loco, usando tecnologia moderna de diagnóstico rápido de campo (DPP leish de Biomanguinhos) pelos colegas da ENSP e IPEC e nada foi encontrado. O mesmo se procedeu na tentativa de cultura em tecidos e órgãos recolhidos e enviados a laboratório de histopatologia. Assim, indiscutivelmente, temos um surto de característica canino - flebótomo - canino ( e humano, agora em fevereiro de 2013) sem a presença de roedores, exceto pela suspeita que os flebótomos se alojam nas locas (tocas) dos roedores sob o solo rico em material orgânico do Cemitério do Caju. Quanto a questão de eutanásia de cães, acredito ser uma medida drástica pois é o reservatório animal mais próximo do homem. Mas outras medidas de caráter ambiental podem ser preconizadas, certamente. Fica a oportunidade de uma discussão saudável, sem demagogia e emoção aflorada, pela busca de um melhor diagnóstico celular ou pelo uso de inseticidas profissionais liberados pelo Ministério da Saúde em áreas de surto comprovados. #vetsensato

    ResponderExcluir
  8. Desculpe, mas, como não sei seu nome, eu mesma vou responder.
    Quem me afirmou(tanto que publiquei na ocasião) foi um profissional da fiocruz. Desculpe não lembrar o nome e nem mesmo ter tempo para procurar.Mas, está publicado. É só olhar a pesquisa do blog à direita.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪