19/10/2011

MAIS UM EPISÓDIO DA SÉRIE "ACUMULADORES DE ANIMAIS"

Bem, como falei na semana passada, não gostei da direção do programa. Agora confirmei. Ora, todos nós sabemos que os chamados "acumuladores" são pessoas que precisam de ajuda, mas, precisamos deixar bem claro que não são doentes todas as pessoas que tem muitos animais.

A doença é a compulsividade de acumular que pode ser latinhas, caixas, peças de metal, jornais, etc etc etc.... Realmente, quando há vidas na manifestação desta doença, o animal acaba sendo vítima de maus-tratos.

O que me incomoda é que o olhar do animal jamais é considerado e falam o tempo todo em "descartar, se livrar, desfazer, doar, etc" dos bichos como se objetos fossem. Mas, o mais grave mesmo é que eles reforçam um conceito errado de que quem tem muitos animais são pessoas imundas e que não ligam para a higiêne pessoal e da sua casa.

Bem, nosso querido amigo Dalmo gravou o episódio da ultima sexta-feira da série "Acumuladores de animais" e aqui está para todos avaliarem.





Animal Planet - 14/10/11
.

16 comentários:

  1. realmente concordo com o blog. Eu assisti e no segundo caso a mulher não me parecia doente. A que tinha muitos cães também não..era uma pessoa boa que perdeu o controle da situação. Ela não queria acumular animais, como se fossem uma coleção, e sim não tinha coragem de negar ajuda quando via um bicho necessitado. Mt bobo esse programa

    ResponderExcluir
  2. Também sou cuidadora e vejo, nesse documentário, não o "se livrar dos animais". O que vi foi "livrar os animais" dos acumuladores.
    Julgo inadmissível, em nome do "amor", manter qualquer vida trancada em gaiolas, em condições insalúbres. Tem um cão de Janice que já anda torto, de lado, por dividir a minúscula gaiola com outros cães. Ainda bem que se livraram das gaiolinhas e poderão ter a chance de encontrar um lar que os adote.
    Desejo toda sorte do mundo pra vocês, peludos!!

    ResponderExcluir
  3. Eu tb nao gostei do programa..concrdo plenamente com
    blog..é deserviço a causa.

    ResponderExcluir
  4. Engraçado que ninguém fala mal de quem acumula dinheiro,roupas,sapatos,carros,etc falou em animais td mundo desce o pau!Eu já vi dois episódios e tbém não gostei do modo como eles falam.

    ResponderExcluir
  5. Chorei junto com as mulheres que tiveram que doar seus bichos. Fiquei imaginando como deve ser duro ter que escolher quem vai embora... Eu não conseguiria, mas me controlo todos os dias para não trazer mais bichos para casa, porque não teria onde deixá-los - uma das minhas cachorronas é muito brava.

    ResponderExcluir
  6. Se eu estivesse no lugar da Janice ou da J.D., só doaria diretamente para as famílias adotantes; jamais para abrigos, dos quais, provavelmente jamais sairão, a não ser para a experimentação "científica" ou para a morte por eletrocução(a de menor custo financeiro).
    As ONGs e o Poder Público que "auxiliaram", teriam prestado auxílio de melhor qualidade se tivessem oferecido ajuda no próprio local e tivessem providenciado as "adoções diretas". Isto seria, no meu entendimento, menos traumático para todos os envolvidos.
    No caso da Janice, que curtia ser babá dos cães ao invés das crianças, infelizmente,acabou vencida pela filha, que ficou feliz da vida com a gratuidade dos serviços prestados por uma babá de confiança, sem encargos trabalhistas.
    Doença, por doença, o excesso de amor ao próximo parece menos lesivo à sociedade do que a sua extrema falta.E é esta falta de amor que produz o número de abandonados, necessitados de ajuda.
    Não gostei do enfoque "científico" que desconsiderou o valor dos vínculos afetivos.
    Esta "ciência" de linha cartesiana é a mesma que orienta a produção de couros e peles de animais para o vestuário,aplica testes dolorosos nos laboratórios, que pratica vivissecção e
    outros barbarismos.

    ResponderExcluir
  7. Claudia /vertemati19/10/2011 20:13

    Eu acho que existe uma grande diferença em quem tem muitos animais para doar e acumuladores. Protetores doam, acumuladores acham que ninguém além deles mesmos são capazes de cuidar bem dos animais. Viver nessa situação é causar sofrimento aos animais.

    ResponderExcluir
  8. Me considero uma colecionadora de animais. Sou empregada trabalho o dia todo, e não aguento ver um animal doente ou filhote abandonado por onde passo. Acabo trazendo todos para casa. Aí é aquele desespero, alimentar, castrar etc. sem receber nehum centavo de ajuda de ninguem. Acontece que fora isso, as pessoas acham que porque eu tenho dó e gosto dos animais, sou obrigada a acolher todos o animais que por alguma razão eles não os quer mais. E tem aqueles que vem na calada da noite e jogam por cima do muro no meu quintal, cachorros e crias inteira de gatos, inclusive recem-nacidos. E eu jamais devolveria as ruas. E o que acontece com os "colhecionadores é isso; alem dos que a gente recolhe, a cidade inteira vem abandonar animais na porta da casa da gente. Levanto todos os dias da minha vida as 5 hs da madruga para fazer a limpeza do quintal, gasto uns 20 litros de qboa mensal. E o meu quintal não tem mau cheiro. Atualmente estou com 15 au aus e 40 miaus. Ando de chinelo de dedo e roupas usada que ganho. Porque o meu salário vai praticamente tudo para sustento da bicharada. E ainda cuido do meu Paizinho idoso de 86 anos que depende de mim pra tudo.

    ResponderExcluir
  9. Chorei muito, provavelmente por me identificar com estas lindas e maravilhosas mulheres. A Neusa tem razão quando diz que ninguém critica quando acumulamos coisas, mas quando temos o amor por eles e os guardamos somos constantemente criticados. O caso mais grave me pareceu da Janice porque os cães viviam em gaiolas o que sou contra, mas ela doou os cães e agora é babá dos netos - como planejado pela filha.
    As pessoas realmente não nos compreendem. Nosso amor transcende tudo. Sem eles - os meus irmãos animais - prefiro partir. Não há amor mais puro e desinteressado do que o deles.
    Muito triste o que vi.

    ResponderExcluir
  10. Não assisti a nenhum dos episódios e prefiro mesmo não fazê-lo...a maioria dos comentários expressa a verdadeira essência de quem sente esse (incompreendido) amor pelos animais. Realmente patético ouvir falar como se quem realmente preocupa-se e tenta fazer algo diante da omissão dos outros(incluindo poder público), por puro amor, compaixão e CIVILIDADE possa ser comparado como um "colecionador compulsivo"...Vidas não são coisas...Colecionador de que? De preocupação, dor diante do sofrimento, incomodações e julgamentos diversos, gastos que nos obrigam a abrir mão de tantas COISAS, essas sim, "colecionáveis"?
    REALMENTE ABSOLUTO DESERVIÇO À CAUSA ANIMAL!!!

    ResponderExcluir
  11. Bem, vi apenas o da Janice e um pedaço..Fiquei perturbada quando vi o estado de alguns animais no final. E as condições de vida dos animais não eram boam. Pelo que vi, viviam confinados, sem sair ao sol. engaiolados.
    Acho que ela tentando ajudar, exagerou...é muito cachorro para cuidar sozinha gente !!

    ResponderExcluir
  12. Ponto importante a considerar é q as críticas são dirigidas apenas aos criadores mas nenhuma àqueles q deixam de adotar animais podendo fazê-lo, o que diminuiria largamente o universo dos abandonados e ampliaria o mundo de criaturas sensíveis.O fato é q vivemos numa civilização orientada exclusivamente pelos interesses - nem todos justos - do ser humano e é só em torno dele q a realidade é apreciada. Coloque-se alguém no lugar do cão, do gato, recolhido...Somos todos, humanos ou não, criaturas do mesmo universo, com idêntica necessidade de bem viver.

    ResponderExcluir
  13. Vamos ver assim , se o bichinho tá sofrendo com fome, doente, no meio da imundice, essa pessoa não é protetor é torturador. Não existe justificativa para a preguiça, pois amor de verdade é dedicação, se a pessoa não pode nem dar um lugar decente pra um animal viver arranje quem possa fazê-lo. Agora manter em pessimas condições um bando de animais que não tem escolha é TORTURA.Eu tenho 87 cães, 10 gatos todos em canis e gatil, que limpo todos os dias, chova ou faça sol.Faço tudo sem ajuda,mantenho tudo do meu bolso e não aceito doações, porque não quero ter que aliviar a consciência
    alheia. Se eu pobre mortal posso fazer isso os outros também podem.
    No primeiro episódio eu vi uma mulher velha gorda que nem uma pipa que quase nem podia se limpar sozinha com a casa cheia de gatos e cães vivendo na imundice, ela chorava, chorava dizia que não podia viver sem eles,mas fora um pouco de comida e prisão ela não dava mais nada, que vida era essa que esses bichos tinham? Eu queria descer o braço naquela baranga cruel.Nem todo o protetor é anjo.
    Amor é dedicação, sacrifício, até renuncia, eu sei que a maioria de nós protetores é gente boa, mas temos que admitir que tem gente que não é NADA DE BOM.
    O programa é tendencioso ? É sim
    mas precisamos separar o joio do trigo.Isso vai rotular muita gente? Vai sim, mas quem quiser a aprovação dos outros vai ter que passar a limpar a casa e isso vai melhorar a qualidade de vida dos bichos.Não existe justificativa para a imundice, porque água e sabão não são tão caros, o que falta é acabar com a preguiça de muita gente, porque chorar é fácil , mas pegar no cabo da vassoura e limpar o chão cansa.

    ResponderExcluir
  14. Concordo plenamente com a Claudia
    Vertemati, existe uma grande diferença entre acumuladores de animais e os protetores, como ela disse os acumuladores acham que ninguem cuida melhor q eles e deixam os animais sem os cuidados basicos, são desconexos e desequilibrados, protetores acolhem querendo encaminhar para uma vida melhor, doam os que podem e conseguem, mas sempre acabam com muitos animais, mas nem por isso deixam de zelar pelo bem estar dos tutelados, mas deixar em gaiolas descordo plenamente, essa mulher está no limite para se tornar uma acumuladora.
    De qualquer forma o programa deixa a desejar e incita ainda mais a discriminação que protetores sérios ainda sofrem.

    ResponderExcluir
  15. Vi e não gostei! A grande questão é saber: para onde vão os animais?
    Isso não é mostrado, o que me leva a crer que o destino deles será o de ficar aguardando em um canil pequeno um adotante que não existirá para todos. E, aqueles que não forem adotados irão acabar sendo mortos. Isso não é mostrado na série! Porque o objetivo real da série não é o de ajudar os animais de verdade, e sim, tirar da responsabilidade do Estado a obrigação de cuidar dos animais de maneira que eles possam ter uma vida feliz e saudável

    ResponderExcluir
  16. Nunca consegui ver todo o programa. Acho que ele não ajuda os verdadeiros protetores e os animais. Muita gente no programa quer ajudar os bichinhos mas não sabe como, outros realmente não podem. Mas e o lado do animalzinho gente?? Ninguem pensa. Eles irão para abrigos e vão perder a referencia do lar no caso dos protetores. O governo poderia ajudar melhor nos casos. Dar assistencia e meios de controle. O programa é um prato cheio para quem não gosta dos animais. não contribui para mudar a cabeça dessas pessoas para melhor. Triste.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪